Notícias de Nonoai e região em primeira mão
Notícias de Nonoai e região em primeira mão

Menu

Caso Rafael: Acusada de matar o filho vai a Júri Popular amanhã em Planalto

121675131_1587643148111079_8329168868969043291_n

Compartilhe nas redes sociais

Facebook
Telegram
WhatsApp
Email
Telegram

 

Alexandra Dougokenski retorna a Planalto amanhã, dia 16 de janeiro, para o Júri Popular, onde ela é acusada de matar o filho, Rafael Winques, em maio de 2020. No dia 21 de março de 2021 a defesa da ré abandonou o salão do Juri, na data pedindo uma perícia em um áudio, tendo então que ser remarcada uma nova data.  O novo júri acontecerá no Salão do Júri do Fórum de Planalto, a partir das 9h, e presidido pela Juíza de Direito Marilene Parizotto Campagna.

Alexandra Dougokenski está presa em Porto Alegre, e ela responde pelos crimes de homicídio qualificado (motivo torpe, motivo fútil, asfixia, dissimulação e recurso que dificultou a defesa), ocultação de cadáver, falsidade ideológica e fraude processual.

No Júri serão ouvidas em plenário 11 testemunhas, entre as arroladas por acusação e defesa. As que não residem na Comarca (3 no total) irão depor por videoconferência.

De acordo com as informações do Site do Tribunal de Justiça foi deferida a acareação de Rodrigo Winques com Alexandra Dougokenski. O pai de Rafael, que figura no processo como assistente de acusação, deverá permanecer incomunicável até o interrogatório da ré. A acareação é um procedimento previsto no Código de Processo Penal (art.229), cuja finalidade é a apuração da verdade, por meio do confronto entre partes, testemunhas ou outros participantes de processo judicial, quando houver divergência nas suas declarações. Ambos poderão ficar calados se assim desejarem.

O tempo destinado ao Ministério Público e à banca de Advogados que representam Alexandra será de duas horas e meia para cada. E de duas horas para a réplica e outro tanto para a tréplica, conforme ajustado pelas partes. Pelo Ministério Público, atuarão os Promotores de Justiça Diogo Gomes Taborda, Marcelo Tubino Vieira e Michele Taís Dumke. Na assistência de acusação, o Advogado Daniel Figueira Tonetto. E pela defesa, o Advogado Jean Severo.

O caso gerou muita comoção no pequeno município de pouco mais de 10 mil habitantes. Quando o menino de 11 anos sumiu teve o envolvimento da comunidade nas buscas por Rafael, e lamentavelmente teve este desfecho trágico, quando o menino foi encontrado sem vida dentro de uma caixa de papelão. De acordo com o site Zero Hora, O advogado de defesa, Jean Severo, diz que vai provar que a ré é inocente. O Júri acontecerá no Salão do Júri da Comarca de Planalto, onde será restrito aos magistrados, Ministério Público, Advogados das partes e a imprensa do Tribunal de Justiça. O Júri será transmitido ao vivo pelo YouTube, no Canal do Tribunal de Justiça.

Fonte: Imprensa / TJRS

Gostou? Compartilhe!

Facebook
Telegram
WhatsApp
Email
Telegram

Veja também