Notícias de Nonoai e região em primeira mão
Notícias de Nonoai e região em primeira mão

Menu

Polícia Federal supervisiona segurança das operações da aviação civil no Park Shopping em Canoas

Imagem do WhatsApp de 2024-05-27 à(s) 16.01.48_9b4b8818

Compartilhe nas redes sociais

Facebook
Telegram
WhatsApp
Email
Telegram

 

Policiais federais atuam nas áreas de embarque e transporte dos passageiros entre o Park Shopping e a Base Aérea de Canoas

Porto Alegre/RS: A Polícia Federal, como autoridade policial aeroportuária, atua na supervisão das inspeções de embarque de passageiros no Park Shopping em Canoas, com o objetivo de prevenir eventuais atos ilícitos contra a aviação civil.

A operação de segurança é coordenada pela equipe da PF do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Os policiais federais prestam suporte aos Agentes de Proteção da Aviação Civil (APACS) no Park Shopping, que executam o controle de passageiros, de bagagens e dos itens restritos nos voos comerciais.

Nos primeiros dias, policiais federais também acompanharão o deslocamento do ônibus de passageiros do Park Shopping até a Base Aérea para avaliar melhorias ou alteração nos procedimentos de transporte que, eventualmente, possam trazer maior controle e segurança aos processos.

Embarque de armas de fogo

Na sexta-feira (24/05), a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) publicou a resolução nº 747, que estabelece, a título provisório, urgente e excepcional, os procedimentos especiais e temporários quanto ao transporte de armas de fogo e munições nas operações civis de aeronaves na Base Aérea de Canoas (BACO ou SBCO), para viabilizar a operação em caráter extraordinário.

A resolução proíbe o despacho de armas de fogo e munições nas operações com destino ou origem na Base Aérea de Canoas e autoriza o embarque de passageiro armado na Base Aérea de Canoas no caso de agente público que comprovadamente se deslocou ao Estado do Rio Grande do Sul para atuação frente ao estado de calamidade pública declarado, em adição às hipóteses presentes no art. 4º da Resolução nº 461, de 25 de janeiro de 2018 (escolta de autoridade ou testemunha; escolta de passageiro custodiado; execução de técnica de vigilância; ou deslocamento após convocação para se apresentar no aeródromo de destino preparado para o serviço, em virtude de operação que possa ser prejudicada se a arma e munições forem despachadas).

Comunicação Social
Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio Grande do Sul

Gostou? Compartilhe!

Facebook
Telegram
WhatsApp
Email
Telegram

Veja também